Médicos residentes protestam contra falta de materiais e insumos no Hospital São Paulo

09/02/2021

Médicos residentes do Hospital São Paulo, que pertence à Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) na capital paulista, realizaram um protesto nesta terça-feira (9), contra a falta de condições para atender os pacientes. Por conta dos problemas, eles decidiram paralisar parte do atendimento.

Eles dizem que o hospital não tem medicamentos básicos, nem materiais como luvas, aventais e seringas para atendimento da população.

Uma das médicas residentes que participou do protesto disse que há cerca de um ano eles alertam sobre a deficiência de medicamentos, exames e insumos.

"Não temos antibióticos básicos, a gente não tem nenhuma medicação venosa para tratar nausea. é extremamente frustrante. Às vezes falta soro para diluir um antibiótico que a gente precisa diluir para tratar o paciente", afirmou Amanda.

Ainda de acordo com a profissional, por falta de insumos, cirurgias foram canceladas desde o último sábado. Ela relata que no domingo, precisou transferir um paciente para outro hospital por falta de insumo.

"Eu já tive que colocar paciente na regulação municipal e estadual por falta de cloreto de sódio, que é uma medicação que custa centavos para o SUS".

Também não há disponível, dizem os médicos, luva estéril, gaze, kit pra fazer hemograma e medicamentos quimioterápicos, entre outros.

Na semana passada, pacientes já haviam denunciado a falta de medicamentos na entidade, afirmando que tiveram que comprar com dinheiro próprio.

Na mesma semana, o hospital já tinha sido alvo de denúncias, mas de pacientes e familiares de doentes internados, que relataram falta de proteína na alimentação. Durante uma semana, todos os internados receberam ovos na comida.

Em nota, o hospital disse que o atendimento de pacientes graves e com Covid-19 gerou maiores custos, que não estavam previstos, e que o pronto-socorro ficou aberto à população, atendendo a quase mil pacientes por dia durante todo o período.

Fonte: G1