BOLSONARO TERÁ O MAIOR ESQUEMA DE SEGURANÇA DA HISTÓRIA DO BRASIL PARA SUA POSSE NO DIA 1º DE JANEIRO

29/12/2018

Por Marcelo Neves

BRASÍLIA

O esquema que está sendo preparado para a posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro, é um dos maiores da história do país. 

O evento vai ter reforço de segurança também no céu de Brasília. Mais de 20 aeronaves da Força Aérea vão ficar de prontidão, entre elas, caças F-5. Elas vão fazer rondas. O comandante das Operações Aéreas da Força Aérea Brasileira (FAB), major-brigadeiro Ricardo César Mangrich, explicou que o sistema vai ser parecido com o usado na Copa e nas Olimpíadas, mas desta vez concentrado em um único local: a Esplanada nos Ministérios.

"Eu tenho um único ponto a ser defendido. Na história do sistema de defesa aérea espacial brasileiro, nos seus 45 anos, vai ser o ponto mais bem defendido de toda história".

Todo monitoramento vai continuar sendo feito pelo Comando de Operações da Força Aérea, em Brasília. Mas, no dia 1º de janeiro, o tráfego de aeronaves vai ser mais restrito do que num dia comum. Foi montado um sistema de defesa, que vai dividir o espaço em três áreas para garantir a segurança durante a posse de Jair Bolsonaro.

A área mais restrita começa na Esplanada dos Ministérios e vai ter um raio de 7,5 quilômetros. Não vai passar nenhuma aeronave que não faça parte do esquema de segurança da posse.

Depois vem a área amarela. São 46 quilômetros, cobrindo praticamente todo o Distrito Federal. A terceira área - a branca - abrange 130 quilômetros.

Para voar nesses trechos as aeronaves vão precisar de autorização prévia da FAB.

No caso de um intruso, sem autorização, na área restrita, a ordem é para interceptar uma aeronave. A operação não vai interferir no movimento do aeroporto de Brasília.

Uma aeronave não tripulada e um helicóptero de reconhecimento ficarão sobrevoando a posse e passarão todas as informações para as equipes em terra.

"O trafego aéreo não vai parar, a malha aérea vai permanecer, mesmo assim, tendo as condições de segurança", esclarece o tenente-coronel Anderson Jean Oliveira, diretor de operações do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo.

No chão, a segurança também será reforçada. A Esplanada dos Ministérios vai ser interditada a partir da 0h do dia 30 de dezembro.

Vão ser quatro barreiras de revista com detectores de metais. Ninguém poderá levar garrafas, bolsas e mochilas, sprays, máscaras, fogos de artifício, produtos inflamáveis, armas de fogo, objetos cortantes, drones, animais e nem carrinhos de bebê.